quinta-feira, 15 de janeiro de 2009

Dias de Sol de Inverno [...@]

.
.
.
.
.
.
.
.
.
.
.
Às vezes, bastam as paredes e os muros.
Não preciso, demais, do que se expõe.
.
.
Contento-me [e contenho-me] com teatros de sombras de árvores.
Atrás de mim [nem ouso olhá-las...], sussurram e dançam o Inverno, num dia soalheiro, que não é hoje.
.
.
Fossem assim, todos os espaços que [com]partilho.
.
.
[Claustros de silêncio... onde os gritos se calam, em dias de Sol de Inverno]
.
.