domingo, 10 de maio de 2009

Lua...

.
.
.
.
Mais ou menos, assim, foi como a vi.
Perdi-a, dois quilómetros mais à frente, depois de uma ultrapassagem.
Apareceu-me, de novo, meia escondida por uma nuvem...
Misteriosa e discreta, como só a Lua sabe ser!...
.
.
[... tão cheia, que nem coube em mim!... peguei no telemóvel: dividi-a.]
.
.