quarta-feira, 2 de setembro de 2009

Um regresso...

.
.

.
.
Houve tempos, em que o mês de Setembro era uma espera ansiosa por dias renovados.
Agora, Setembro tem um cheiro lunar de apreensão e alguma melancolia...
.
.
É o regresso a casa, para valer!
O sol não vai alto. O fim de tarde é mais cedo. A noite chega, para ficar mais tempo.
.
.
Arrumo os vestígios de um ano de trabalho, que passou.
Abro páginas de ficheiros novos, para o próximo...
Apago e substituo o símbolo da Escola...
.
.
[Nesta operação silenciosa, de regresso, sinto a falta de sorrisos cúmplices que deixei noutro lugar... Reconheço, não sem uma certa consternação, que tudo é tão perto, agora!...]
.
.