sábado, 26 de setembro de 2009

As cores do Porto

.
.

.
.




.
.
Agora, os meus trajectos são mais urbanos.
.
.
Tento habituar-me às ruas e às praças, enquanto ouço os ruídos da cidade, nas curtas distâncias percorridas.
.
.
Páro nas montras das lojas. Compro fruta no caminho. Cruzo-me com rostos que há muito tempo não via.
.
.
[E sinto-me estrangeira, na minha cidade...]
.
.