segunda-feira, 26 de maio de 2008

Metáfora em verde claro-seco...



.
.
As heras formam tapetes lindíssimos…
As heras têm uma tonalidade discreta, de que eu gosto… um verde claro-seco!
Mas, não deixam de ser o que são: parasitas!
.
.
Não me iludem, apesar de tais peculiaridades.
Aparentemente, parecem fazer parte do todo... Curiosamente, escondem-no!...
Hoje, enquanto as admirava, ao longe [depois, ao olhar bem para elas], bem que as dispensava!
.
.
Hoje, arrancava-as a todas!… Deixava respirar as árvores e o chão, finalmente!
Talvez, quem sabe, depois desta tarefa de jardinagem, pouco comum [um tanto ou quanto agressiva, reconheço(-me)!...?], também conseguisse respirar melhor e reconhecer o que elas teimam em esconder, num verde manso, de que até gosto… um verde claro-seco!
.
.
[Lá continuam… como metáfora de mais uma segunda-feira, inconclusiva.]
.
.
de 2008, Foto de heras num jardim interior