sábado, 23 de fevereiro de 2008

E um trevo de seis folhas?


.
.
.
Tenho tufos de trevos selvagens no meu relvado... pequenos e sóbrios.
Não consigo arrancá-los, quais ervas daninhas.
.
.
Vá que, misturados no meio dos tufos, estão os trevos de quatro folhas?
Parece que a sorte não me tem bafejado, nos últimos tempos. Não me atrevo a afastá-la de vez!
[São tantos e pequenos, que falta o tempo para lhes contar as folhas. Prefiro pensar que sim: no meio deles há um, pelo menos um, com quatro folhas!]
.
.
Mas encontrei, neste candeeiro, uma espécie de híbrido.
[Estamos no tempo das hibridações, das miscigenações e por aí..., sendo assim, porque não?]
.
.
De dia, é um trevo de seis folhas! Não de quatro, mas de seis!...
À noite, são pirilampos siameses.
.
.
.
quando a noite cai, Seis prilampos siameses